DB4 | TJ4

O dia começou com o Sun ao volante, em contramão. Por causa desse incidente ficou claro que eu não podia dormir durante a viagem, ou ainda acabávamos a fazer rotundas ao contrário. Lá chegamos a Fethiye para almoçar e apesar das leituras esquecemo-nos que no mercado do peixe podíamos ter escolhido o peixe para grelhar logo ali e comemos lulas e polvo, que também não estavam maus.

Seguimos para um passeio pela cidade e descobrimos que as ruas são escadarias e vielas impossíveis de compreender. Enquanto nos perdíamos por ali o Jon, que vivia nas montanhas e já tinha ido à Madeira, guiou nos até ao castelo.

Descemos à cidade para experimentar o banho turco. Enrolados numa toalha de algodão fomos postos no calor para suar. 20 minutos depois dois homens em toalha entraram e começaram a esfregar, ensaboar, massajar e banhar-nos com uma taça. No fim enrolaram-nos em várias toalhas e puseram-nos a secar enquanto bebiamos chá. Por mim fazia isto todos os meses.

Seguimos viagem até Akyaka onde vamos ficar os próximos dias. Na estrada, o carro mais comum é o Renault 12, que era o carro lá de casa quando eu nasci. A condução em geral não é má, mas a estrada não tem indicação de limite de velocidade, os condutores não usam pisca, os miúdos saem da escola a correr sem olhar e os autocarros intercidades vão em corrida com os veículos ligeiros, o que é um bocado assustador.

Chegados a Akyaka reencontramos o Vulcan, que afinal se chama Furkan, com quem passamos a noite a beber copos.

A palavra do dia é Teşekkürler! Alguém adivinha?

image

The streets of Fethiye

image

In the hammam

The day started with Sun driving on the wrong side if the road. This incident kept me awake for the entire trip with fear he would enter a roundabout the wrong way.  We reached Fethiye just in time for lunch but despite reading the travel guide we forgot we could have gone to the fish market for lunch. Instead we had octopus and squid which were OK.

After lunch we went on a city walk to find the streets are actually a maze of stairways and back alleys. Jon, who lived in the mountains and had been to Madeira, offered to take us through to the castle.

We then went on to try a hamam. We were wrapped in cotton towels and put in a hot rim to sweat. 20 minutes later, 2 towel wrapped men came in to rub, soap, shampoo and bowl bathe us. They then wrapped us in more towels and put us to dry with a cup of tea. I wouldn’t mind this once a month.

Once clean we drove to Akyaka, where we are spending the next days. The roads are good and the traffic is OK, despite the lack of speed limit signs, kids running off school without looking, indicator less turns and a speeding bus racing all the cars. The most common car around is Renault 12, the same we had when I was a kid.

On arrival we met Vulcan again, whose name is actually Furkan, and spent the night chit chatting on a bar.

The word for today is Teşekkürler! Any ideas?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: