118

Apos varios e-mails e mensagens achei que talvez por aqui um post facilitaria as coisas a tod@s @s arquitect@s que pensam vir para o Reino Unido (e aos meus dedinhos claro). Isto nao e’ de forma alguma o modo ideal mas foi o que eu fiz e tenho de dizer que me dei bem. Anyway, ao que interessa.
 
Os sites onde procurei emprego foram:  classificados do Building Design, classificados do RIBA e um site de arquitectura.
Para alem destes tambem andei nas paginas dos ateliers ‘a procura pois algumas das firmas teem espaco de anuncios nos proprios sites.
Ha’ ainda as agencias que fazem o trabalho por nos. A desvantagem e’ que podem cobrar e, se nao cobram a nos cobram ‘a empresa, portanto muitos ateliers nao as usam. Eu deixei esta opcao para ultimo recurso e nunca a usei.

Na altura procurei por Part 2 Assistant, pois eu nao estava registada no Architects Registration Board como arquitecta mas

aparentemente as coisas vao mudar. A ARB e’ a entidade reguladora da profissao, tal como a Ordem dos Arquitectos. Para um membro da OA a inscricao na ARB e’ mera burocracia, especialmente se a lei mudar. Senao, apenas ao fim de dois anos de experiencia profissional (para a qual o estagio conta) e’ que nos podemos inscrever la’. Sinceramente as unicas vantagens que vejo nesta inscricao sao a possibilidade de usar o titulo "Architect" e, consequentemente, um salario melhor. Mas com o titulo e o salario veem mais responsabilidades, mais exigencias e necessidade de um maior conhecimento da legislacao e regulamentos.

 
O Royal Institute of British Architects e’ mais como um "clube". Nao e’ obrigatoria a inscricao mas caso alguem vindo de Portugal se queira inscrever e’ necessaria a inscricao na ARB e um minimo de 5 anos de pratica profissional. Um e-mail para qualquer uma destas entidades ou uma visita aos sites esclarece o resto.
 
Para procurar casa usei o Gumtree mas antes disso fiquei alojada numa residencia que tinha precos em conta e 2 refeicoes por dia. Quanto aos custos estao a ver bem. Os precos sao por semana, mas quando comecarem a trabalhar deixam de se preocupar. Nao e’ a toa que se diz que Londres e’ das cidades mais caras do mundo. E decerto se procurarem fora da capital os precos descem.
 
Para alem de alojamento e’ essencial um numero de telemovel ingles, uma conta de e-mail acessivel, um oyster card e um "A to Z", pois normalmente os escritorios de arquitectura nao aparecem nos mapas turisticos. Eu trouxe 20 copias do meu CV/Portfolio impresso de Portugal pois uma amiga disse-me que imprimir nesta terra era carissimo. Ca’ conheci uma senhora simpatica que me deixou usar a impressora dela para adicionar o meu numero ingles na pagina dos contactos e resolveu-se facilmente a questao.
As bibliotecas locais e lojas "idea" teem internet gratuita, uma pessoa pode e’ nao arranjar logo vaga e o uso esta’ normalmente limitado a uma hora. Para mim era o suficiente todas as manhas para ver os e-mails, mandar mais umas candidaturas e dar uma vista de olhos pelos jornais.
 
Agora burocracias. Quanto ‘a conta bancaria nao sei bem o que dizer. Algumas pessoas que conheco dirigiram-se a um banco e abriram conta com o passaporte e pronto. Para mim foi uma confusao. Havia bancos que nao me aceitavam porque nao estava no pais ha’ tempo suficiente; outros porque nao tinha morada "a serio"; outros ainda abriam conta mas nem sequer me davam cartao de debito durante os primeiros seis meses. Finalmente, e depois de correr todos os bancos de CW, la’ houve um que me abriu uma conta para poder receber o ordenado.
 
O National Insurance Number e’ um registo que combina as financas e a seguranca social. O registo neste servico e’ obrigatorio para quem procura emprego ou esta’ empregado. Eu tratei disto por mim depois de arranjar emprego atraves dum "job centre" mas muitas empresas tratam disto aos seus empregados. Nao e’ dificil, e’ apenas burocracia.
Quanto ao IRS, aquele monstro que nos assombra no final do ano fiscal, nao existe aqui. Desde que se trabalhe por conta de outrem, o sistema e’ simples e a entidade empregadora e’ que trata disso. No final do ano fiscal (que aqui e’ em Abril), recebemos em casa um documento a comprovar os pagamentos que foram feitos ao longo do ano para o NIN e "prontos".
 
O medico de familia arranja-se atraves do National Health Service e e’ gratuito. Normalmente ha’ um centro por bairro e e’ preciso comprovativo de morada para a inscricao. Eu so’ me inscrevi depois de arranjar casa mas tambem nao precisei dele antes. Alguns medicaments sao gratuitos, especialmente para doencas cronicas, e os que nao sao mas necessitam receita medica teem o preco fixo de +-7 libras. Simples e nao e’ preciso andar a coleccionar recibos para o IRs no fim do ano.
 
Last but not the least, inscricao consular. Sinceramente o Consulado Portugues e’ tudo menos bom. A inscricao nao e’ necessaria mas da’ jeito caso se perca o BI ou o Passaporte ou para renovacao destes. Convem e’ faze-la antes de ser perderem os documentos!
Preparem-se para perder umas horas em chamadas que ninguem atende, numeros nao atribuidos, e-mails sem resposta e atitudes arrogantes no consulado. Infelizmente os representantes do nosso pais deixam um pouco a desejar no que toca a simpatia mas depois de nos atenderem ate’ mandam um sorriso e despacham os nossos papeis. Infelizmente parece-me que partem do principio que estamos ali todos com documentos falsos e vivemos ‘a custa do estado e somos, basicamente, uma cambada de parasitas.
By the way, no Reino Unido nao e’ obrigatorio andar com identificacao, mas ja’ ma pediram 2 vezes para entrar em bares e tive de ficar ‘a porta. Nem vale a pena argumentar.
 
E agora nao me lembro de mais nada. Deixem aqui perguntas se tiverem.
Advertisements

4 thoughts on “118

  1. Sergio, espero que este post ajude.
     
    Lu, nao consigo responder \’a tua mensagem mas espero que este post responda \’as tuas perguntas.
     
    Boa sorte!

  2. Claro que ajudou. Tenho aqui uma espécie de guia das mil e uma coisas que nos escapam sempre que chegamos a um sítio novo à procura de trabalho…
    Curiosamente o meu namorado chama-se Sérgio, mas curiosamente não é a pessoa mencionada no comentário, e mais curiosamente também ele é arquitecto e vai comigo para londres…
    mundo pequenino!
     
    Muito muito obrigado pelo testemunho… vou passando por cá a seber novidades!

  3. Pingback: 118 (parte 2) « Estirador

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: