Adrian Mole

I came to realise today that I am a Mole geek as I scored 9 out of 10 on the Guardian quiz

Wanted | Procura-se

On a mailing list I subscribe there was a message headed “Wanted: job and room” This is not the first messgage of this type I have seen in the past years, but this one was very blunt. “Wanted: job and room”
I find it quite scary how people are leaving Portugal and heading to London without having a place to sleep.

Num grupo a que pertenco vi uma mensagem com o título “Procura-se quarto e trabalho”. Nao é a primeira vez que vejo este tipo de mansagem, mas esta era particularmente frontal. “Procura-se quarto e trabalho”
Assusta-me saber que há pessoas a saír de Portugal e vir para Londres sem sequer ter cama para dormir.

Da calçada | Pavement

Tenho lido em vários jornais on-line, muitas vezes nas notícias que aparecem no fundo da página e que ja quase ninguém le que vao remover a calcada em várias zonas de Lisboa.

Eu sempre lhe ouvi chamar calcada portuguesa, mas nos jornais insistem que é calcada de Lisboa (alguém me explique sff, visto esta existir pelo país todo). Adiante.

 

Ah e tal que a calcada é má para os saltos altos, e que a malta escorrega, e que é só buracos e que nao é nada amiga de pessoas com mobilidade reduzida. Vamos por pontos:

 

. Isso dos saltos é com quem os usa. Eles também fazem mal ‘as costas e ninguém se queixa.

. Que a malta escorrega é verdade. Nas minhas experiencias com muletas especialmente pude comprovar isto. Mas isso nao tem a ver com o facto de ser calcada mas sim com o acabamento dado ‘as pedras. Que tal dar-lhes um acabamento mais rugoso?

. Que é só buracos é porque a calcada nao é mantida como devia. Abre-se um bocado de passeio para reparar um cano e as pedras ficam ali ao lado, abre-se outro para a TV cabo e mais umas pedras soltas e assim se vai esventrando o passeio.

. Que nao é amiga de pessoas com mobilidade reduzida nao posso comentar muito, visto só ter andado uma semana de cadeira de rodas, mas as razoes acima citadas explicam a “desamizade” da calcada. Nao é a calcada em sí mas o que lhe fazem ou nao.

 

Quando era miúda muitas vezes disse mal da calcada por nao poder andar de patins nela. As rodas abrandavam nas juntas e chegavam memso a ficar presas. Mas sempre gostei dos desenhos. As estrelas do mar, os peixes, as ancoras e afins que se vao encontrando ao longo do caminho.

As razoes apresentadas nas notícias para retirar a calcada sao más.   Um passeio de qualquer outro material vai ser tao mau (ou pior, pois certamente será mais feio) pois o que está em causa nao é o pavimento mas sim a manutencao deste.

Dizem as notícias que nao há calceteiros. Sugiro que se faca o que era feito no tempo do outro senhor, e ponham servico comunitário como alternativa a penas por crimes menores.   Tinha um colega que me disse “Ontem conheci um homem que conhecia o meu avo. Quando lhe perguntei de onde ele disse que quando esteve preso calcetou o passeio em frente ‘a farmácia do meu avo e conversavam nas pausas”

 

Tenho pena que a partir do Verao aquela que é uma das imagens que distingue o meu país passe a ser famosa por causa do mundial de futebol do outro lado do Atlantico. Tenho pena que a calcada portuguesa passe a ser conhecida pelo “brazilian pavement” (o calcadao do Rio a trazer as ondas do mar até ‘a estrada), mas pode ser que por causa disso, porque “os estrangeiros” lhe vao achar piada se comece a tratar da calcada com cuidado em vez de a arrancar.

I have been reading on various Portuguese papers that they are removing the paving stones on the sidewalks. If you have never been to Portugal you won’t understand, but I suggest you peek into Mr. Google image bank on this matter and maybe you’ll understand. You see, the Portuguese pavement is not only stones, it actually tells you stories with its various patterns and imagery.

 

They say it is damages stilettos, it is slippery and not disabled friendly. Aside the stilettos, which damage your back anyways I think is not the pavement’s unfriendliness but the fact that it is not maintained properly.

 

Between maintenance to underground conduits and bad workmanship we end up with loose stones and irregular walkways. I believe even if they change it the problem will remain and the streets will look uglier.

 

I hope that because of the world cup the Portuguese pavement becomes something famous, although probably known as “Brazilian pavement” (so sad) as it features in one of the most famous images of Rio, the sidewalk along the waterfront.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mugged | Assaltada

Last week I was mugged.

 

I know, I know, I live in East London, I walk through all these neighbourhoods, bla, bla, bla

The truth is it was broad daylight, it was in front of a listed building and on a main road.

 

4 kids sitting on the doorsteps pulled my bag and threatened me with a screwdriver. It was so sudden that I just let my bag go and ran away when I found I still had my phone in my pocket. So far nothing new, it was a robbery.

 

However, having reported it to the police I have found that the policy is to make you (the victim) feel comfortable and safe. The cops took me on a drive around the neighbourhood to try spot the robbers.   They then came with me to my house to take my statement while I sat comfortably on my living room. They didn’t rush me (was the end of the day, probably the end of their shift but still they were here for almost one hour), asked me a lot of questions about the incident, my bag and its contents and the attackers.

That same evening the officer that took the notes called me to give me the crime reference number and the next day I was contacted by a detective who had been put in charge of the case.   She wanted to know how I was and gave me her contact in case I remembered something else.

I was then contacted by a victim support charity volunteer who wanted to know how I was, told me what I could experience in the coming days and offered me a personal alarm.

 

After the police left my house I cancelled my cards and got the door lock changed. While the bag was old and had less than £20 cash in it, the damage so far has been over £200 just in replacing locks and cards and the personal items in the bag (contact lenses, new lipstick, all that girly stuff).

 

How am I doing? Not sure. I am happy that the police is looking into it and that they actually have a support line. The robbers didn’t touch me, not even with a finger. There was no pushing or holding. They grabbed the bag and pulled. I think this was good. I think all these things make me feel lucky, as most times I hear about crimes in East London usually involve knifes and gangs. Though I lived here for more than 7 years and I have never seen anything happening.

In the morning I go for my jogs and walk happily to work but comes evening and I feel a bit uncomfortable.   Walking on the street, if I see a group of kids about the same age, I feel like changing sidewalks. A few days ago I jogged home back from work. I was so aware of what happened before that I kept close to another jogger who luckily came the same way. On the plus side I improved my running speed to catch up with him!

I was told feeling this way was normal, let’s hope this feeling goes away.

 

A semana passada fui assaltada.

 

Eu sei que moro em East London mas isso nao é desculpa.

O assalto foi a ir para o cinema, em plena luz do dia, ‘a porta de um prédio todo catita. 4 miúdos estavam sentados nos degraus tipo filme americano à conversa, quando eu passei por eles um puxou o meu saco e outro avisou-me que tinham uma chave de fendas. Eu larguei o saco, foi tudo muito rápido e quando descobri que tinha o telemóvel no bolso pus-me a correr dali para fora.

 

Ia a caminho da esquadra quando encontrei 2 polícias na rua. Eles chamaram uma carrinha e fomos dar uma volta pelo bairro a ver se viamos os miudos. Os polícias vieram comigo a casa para registar a queixa sem pressas e com alguma paciencia; fizeram várias perguntas sobre o que aconteceu, o conteudo da minha carteira e os atacantes.

Nessa mesma noite telefonaram me com o número do crime e entretanto veio um serralheiro mudar a fechadura e cancelei os cartões.

No dia seguinte ligou me um detective a informar que era a responsável pelo caso, a saber como eu estava e a dar-me o contacto caso me lembrsse de mais alguma coisa. Também recebi um telefonema da linha de apoio à vítima, que me disseram o que poderia acontecer nos próximos tempos e mandaram-me um alarme pessoal.

Os miúdos levaram menos de £20 mas custaram me mais de £200 entre fechadura nova, lentes de contacto e cartões que tive de renovar

Como é que eu estou? Pois nao sei explicar.   Por um lado a eficiencia do sistema (policia, linha de apoio, serralheiros de emergencia, etc) deixou-me mais confortável. O facto de nao me terem sequer empurrado ou tocado com um dedo também ajudou, pois quando ouco falar de crimes por esta zona normalmente envolve gangs e facas.

 

De manha continuo a ir correr e a pé para o trabalho, mas ao fim do dia nao me agrada a ideia de andar na rua e quando vejo um grupo de miudos tenho vontade de mudar de passeio. Ha uns dias decidi vir a correr para casa do trabalho e apesar do desconforto “colei-me” a um tipo que ia a correr também e que parou pouco antes da minha casa. O melhor disto foi que melhorei o meu tempo de corrida porque ele era mais rápido que eu!

 

Disseram-me que é normal sentir-me assim. Entretanto comprei pilhas para as luzes e se o tempo continuar seco vou de biciclete para o trabalho. Isto há de passar.

 

 

 

 

 

Morning mist #2

image

Morning jog | corrida matinal

image

Weekly Photo Challenge: Three

This challenge came out just as I finished my first newspaper basket/drawer project.  As the bedroom shelves came out a bit different from originally planned, I had to improvise on closed storage for my scarves.  The basket came out nice and I’m starting a second one for the lower shelf.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 33 other followers